Lançado Programa de Hortas Comunitárias em Varginha

Lançado Programa de Hortas Comunitárias em Varginha

O Prefeito Vérdi Melo, deu posse nesta quinta-feira, 20, aos integrantes do PROHORTA – Programa de Hortas Comunitárias do município de Varginha.


Criado pela Lei Municipal 6.531/18 e regulamentado pelo Decreto 10.325/21, o programa Municipal de Horta Comunitária no Município de Varginha, vinculado à secretaria Municipal de Agricultura, consiste na ocupação de áreas urbanas para o cultivo de hortaliças, frutas e outros alimentos, plantas medicinais, ornamentais e para a produção de mudas.


O programa tem os seguintes objetivos: aproveitar mão-de-obra desempregada; proporcionar terapia ocupacional; aproveitar áreas devolutas; melhoria do meio ambiente urbano mediante a utilização dos espaços urbanos ociosos; otimizar o aproveitamento dos espaços urbanos; geração e complementação de renda; estimular educação agroecológica nas escolas e estimular ocupação para grupos da terceira idade.


A solenidade ocorreu na sede do Inprev e contou com a presença do Prefeito Vérdi Melo, do ex-prefeito Eduardo Ottoni, dos secretários municipais de Agricultura, Marcos Batista e de Habitação e Desenvolvimento Econômico Sérgio Takeish e dos vereadores Dudu Ottoni, propositor do projeto que resultou na criação do Comitê e do vice-presidente da Câmara, vereador Rodrigo Naves.


Na oportunidade Vérdi agradeceu a todos que compõem o Comitê. Falou da importância de políticas públicas das voltadas para a agricultura familiar, e anunciou projetos futuros, como uma nova sede para a Secretaria de Agricultura, a construção de um novo mercado do Produtor e da construção de uma rotatória onde hoje está o Mercado, para aliviar o trânsito naquela região.

O vereador Dudu Ottoni, autor do projeto, também se manifestou: “É um momento histórico, porque as hortas comunitárias têm como objetivo promover uma melhor qualidade de vida e também a segurança alimentar da comunidade. Esse programa estimulará a produção de alimentos saudáveis para o uso das famílias, das entidades assistenciais, além de poder ser comercializados pelos produtores, ajudando a complementar a renda de muitas pessoas que estão desempregadas”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *