Impactos da pandemia na educação em Minas Gerais

Como minimizar os impactos da pandemia do coronavírus sobre os alunos da rede estadual de Minas Gerais foi tema da reunião conjunta do Conselho de Tecnologia e Inovação e Conselho de Educação e Treinamento da FIEMG, realizada via videoconferência nesta terça-feira, dia 23/06.

Para Paulo Roberto Henrique, presidente do Conselho de Educação e Treinamento, o momento atual é oportuno para repensarmos as metodologias de ensino. “A pandemia da Covid-19 não tem data para acabar e as escolas vão continuar, por tempo indeterminado, com suas atividades diferenciadas”, afirma.

Gustavo Braga, chefe da Assessoria Estratégica da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG), apresentou aos membros dos colegiados as iniciativas da pasta para minimizar os impactos da pandemia nos alunos. A rede estadual de ensino em Minas conta com 1,7 milhões, 240 mil professores e 3,6 mil escolas em 853 municípios. “O universo no estado é muito grande, temos municípios com diversos níveis sócio-econômicos, com escolas em ambientes rurais e indígenas, por exemplo. O desafio é grande e temos tentado chegar o mais próximos de todos os alunos”, pontua.

O Plano de Estudo Estruturado para cada ano; o programa de TV “Se Liga na Educação”, realizado em parceria com a Rede Minas; o aplicativo “Conexão Escola” e o site e as redes sociais fazem parte do Modelo de Ensino Não Presencial que a SEE/MG está utilizando para dar continuidade ao ensino no estado. Segundo Braga, 97,5% dos alunos tiveram acesso ao material, seja por meio físico (entrega dos materiais presencialemte) ou digital. Os próximos passos são encontrar instrumentos e tecnologias para oferecer às famílias maior acesso aos meios digitiais para que a educação dos alunos seja a mais completa possível. “Precisamos estabelecer parcerias com importantes entidades para pensarmos na construção e nos protocolos de retomada das atividades dos ensinos educacionais”, diz Braga.

Valetino Rizzioli, presidente do Conselho de Tecnologia e Inovação, ressalta que o maior desafio hoje é como conectar e dar acessos à todos os alunos aos conteúdos disponibilizados pelo sistema de educação. “A FIEMG pode auxiliar, com o seu trabalho desenvolvido em tecnologia e inovação, o governo estadual no acesso de mais alunos à educação”, ressalta.

Deixe um comentário