Impacto dos preços dos alimentos da cesta básica em 2020

O ano de 2020 ficará marcado por diversas questões ocorridas, entre elas a elevação dos preços dos alimentos que ocorreu em todo o Brasil e também em Varginha.

A determinação do Índice da Cesta Básica em Varginha, realizada pelo Departamento de Pesquisa e pelo Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional do Unis, mostrou que entre janeiro e dezembro deste ano o valor médio na cidade aumentou 21,18%, partindo de R$ 408,23 (em janeiro) para R$ 494,68 (em dezembro). Para efeito de comparação, no mesmo período em 2019 a elevação foi de 8,48%.

A tabela a seguir mostra as variações dos preços dos produtos componentes da cesta básica nacional de alimentos em Varginha entre janeiro e dezembro de 2020.

Com exceção do pão francês, todos os demais produtos tiveram elevação nos seus preços médios neste ano. Os hortifrutigranjeiros apresentaram grandes volatilidades, que são típicas destes produtos. Porém, as variações nos seus preços foram maiores neste segundo semestre em razão da estiagem entre julho e setembro que antecipou a maturação dos mesmos e diminuiu a oferta nos meses de novembro e dezembro.

O leite integral apresentou essa elevação nos preços médios em razão da diminuição da produção pelos laticínios devido à pandemia e à maior retenção do produto pelos produtores. Já a farinha de trigo foi impactada pela taxa de câmbio desvalorizada que elevou os custos da importação do trigo. Importante destacar que estes dois produtos também foram influenciados pela maior demanda em virtude da pandemia que aumentou as refeições realizadas em domicílio.

Mas, os grandes vilões dos preços no ano foram o óleo de soja e o arroz que, em média, dobraram de preço. O câmbio desvalorizado, o aumento na demanda principalmente externa por meio das exportações, bem como a queda na disponibilidade interna explicam as elevações nos preços destes produtos. Cabe salientar que a carne bovina, cuja participação no orçamento familiar é muito alta, também apresentou considerável elevação (22,72%) provocada pelos mesmos motivos do arroz e do óleo de soja. Estes produtos devem demorar um tempo maior para apresentarem quedas mais robustas nos seus preços.

É importante que os consumidores pesquisem os preços entre os estabelecimentos e marcas para minimizarem os impactos no orçamento doméstico.

Deixe um comentário