Empresários da região mais otimistas para o primeiro trimestre de 2021

A Educação Corporativa do Unis apresentou os resultados do Índice de Confiança do Conselho Empresarial do Sul de Minas – Regional Varginha referente ao 4º trimestre de 2020, e as perspectivas para o 1º trimestre de 2021. 

Os resultados demonstram que os empresários melhoraram seu otimismo, tanto no contexto atual como para os primeiros três meses do novo ano que se inicia. O resultado apurado torna possível compreender o contexto regional e auxiliar empresários, governos, entidades representativas e demais agentes na tomada de decisões.

O índice apresenta a percepção dos empresários no que se refere a seis quesitos intimamente ligados ao desempenho das empresas, são eles: vendas, contratações, investimentos (considerados internos à empresa), inadimplência, segmento empresarial e economia nacional (considerados externos à empresa).

O índice geral de confiança dos empresários do CESUL, que engloba a situação atual e futura (feito através de uma média simples), alcançou o patamar de 110,75, uma elevação de 10,25 pontos em relação à pesquisa anterior, demonstrando que o empresariado se encontra em uma situação de confiança em alta no conjunto de suas percepções e expectativas. O resultado foi o melhor para o ano de 2020.

Com relação à situação atual, a confiança se apresenta com índice de 110,67, enquanto a confiança futura para o primeiro trimestre de 2021 encontra-se no nível de 110,83. Estes resultados mostram um empresário bastante otimista tanto no contexto atual quanto para o próximo trimestre. Comparando com a sondagem realizada no trimestre anterior, é possível verificar uma elevação de 12,67 pontos no nível atual de confiança e de 7,83 pontos na confiança futura.

Importante destacar que é o valor mais alto para o nível atual de confiança desde o início da pesquisa em 2018, o que pode indicar que os negócios se encontram em bom nível de recuperação no pós-pandemia. No entanto, a confiança futura está bem abaixo do maior valor que já foi obtido na pesquisa (no terceiro trimestre de 2019), o que pode indicar que o empresariado ainda tem receios sobre uma recuperação mais robusta no primeiro trimestre de 2021 dadas as incertezas que a pandemia ainda apresenta. Por isso, como já preconizado por analistas e pela equipe econômica do governo federal, a vacinação em larga escala é fundamental para que as incertezas sejam minimizadas e as decisões empresariais tenham um horizonte mais claro para serem tomadas.

Deixe um comentário