Depois de seis meses em queda cesta básica volta a subir em Varginha

Depois de apresentar deflação por seis meses consecutivos o Índice da Cesta Básica de Varginha (ICB-UNIS), calculado pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis em parceria com a ACIV (Associação Comercial, Industrial Agropecuária e Serviços de Varginha), apresentou, em sua décima primeira pesquisa de 2019, alta de 2,12% entre outubro e novembro.

A pesquisa abrange 13 produtos componentes da cesta básica nacional de alimentos e a coleta de preços é realizada nos principais supermercados da cidade. De acordo com o responsável pela pesquisa, Prof. Dr. Pedro dos Santos Portugal, o aumento nesse mês é explicado principalmente pela elevação dos preços médios do tomate e da carne bovina. Em 12 meses a cesta básica em Varginha teve aumento de 0,57% e nesse ano de 2019 o acumulado desse índice apresenta deflação de 5,36%.

A pesquisa verificou que neste mês de novembro o valor médio da cesta básica nacional de alimentos para o sustento de uma pessoa adulta em Varginha é de R$357,37, correspondendo a 38,92% do salário mínimo líquido. Dessa forma, o trabalhador que recebe um salário mínimo mensal precisa trabalhar 78 horas e 47 minutos por mês para adquirir essa cesta de alimentos”, explicou o Prof. Pedro.

Entre os meses de outubro e novembro, dos 13 produtos componentes da cesta básica pesquisada em Varginha, 4 apresentaram alta dos preços médios, são eles: tomate, carne bovina, açúcar refinado e óleo de soja. Nove produtos apresentaram queda em seus preços médios, são eles: batata, banana, feijão carioquinha, leite integral, café em pó, pão francês, arroz, manteiga e farinha de trigo.

Por mais um mês ficou evidenciada a influência da dinâmica da oferta como fator explicativo nos movimentos dos preços médios, o que deve permanecer por mais algum tempo em função da demanda ainda se encontrar bastante enfraquecida”, concluiu o Prof. Pedro.

Deixe um comentário