Atendimentos dos NAF do Sul de Minas Gerais representam 55% do total do Brasil

Quatro dos NAF do sul de Minas estão entre os cinco que mais atenderam no Brasil em 2020 

 
A Receita Federal em Varginha vem dedicando uma atenção especial ao gerenciamento dos NAF (Núcleo de Apoio Fiscal) e na capacitação de seus alunos desde o final de 2017. A cada ano o número de atendimentos aos cidadãos cresce e supera as expectativas. Os 82.492 atendimentos dos NAF do sul de Minas representam 55% do total dos 148.778 atendimentos no Brasil. No ranking de atendimentos em 2020 no Brasil, os NAF do sul de Minas ocupam 4 dos cinco primeiros lugares: 1º UNIS-Varginha, 2º Unincor Três Corações, 4º Unifenas – Alfenas e 5º Univas- Pouso Alegre. 

Ressalta-se que, no período da pandemia, a maioria dos NAF atenderam de forma virtual contribuintes de todo o Brasil e até do exterior. Os principais serviços prestados foram o auxílio na regularização de CPF, na declaração de Imposto de Renda, na declaração do Microempreendedor Individual, na declaração do ITR e no auxílio emergencial. 

Os treinamentos presenciais, e, atualmente, virtuais no período da pandemia, sobre Auto Atendimento Orientado, Imposto de Renda Pessoa Física, Microempreendedor Individual e ITR fazem com que todos os alunos do curso de ciências contábeis das 21 Instituições de Ensino Superior (IES) do sul de Minas tenham um conhecimento diferenciado. 

Esta capacitação reflete não apenas em números de atendimentos presenciais e à distância dos NAF, mas na redução da procura de orientações pelos contribuintes e contadores nas Agências e no CAC da Receita Federal em Varginha, e também na caixa corporativa (atendimento à distância) em Minas Gerais. O resultado é fruto deste investimento de três anos nestes alunos, futuros contadores. Vale lembrar que os contadores também recebem um tratamento diferenciado, sendo convidados para capacitação específica em seus pólos de atuação nas cidades de Alfenas, Itajubá, Pouso Alegre, São Lourenço, Lavras, Varginha, Poços de Caldas, Guaxupé, São Sebastião do Paraíso, Campo Belo e Passos. 

O ex-Delegado Adjunto de Varginha e atual Delegado da Receita Federal em Uberlândia, auditor-fiscal Eduardo Antônio Costa, explica que “o resultado vem de um trabalho continuado que teve início em outubro de 2017 e que cresce a cada ano. Temos o foco nos alunos, os futuros contadores, e também nos atuais contadores, inclusive com parcerias com o CRC-MG, sendo que alguns treinamentos contam na pontuação da Educação Continuada dos contadores.” 

Eduardo Antônio Costa falou sobre a importância do expressivo número de atendimentos: “Foi realizado praticamente um pacto com os NAF no sul de Minas. A Receita Federal em Varginha disponibiliza treinamentos presenciais através de seus instrutores altamente capacitados a todos os alunos de ciências contábeis das 21 Instituições de Ensino Superior que possuem NAF no sul de Minas, além dos treinamentos disponibilizados na plataforma de treinamentos CUBOZ. O retorno deste investimento visualizamos no número de atendimentos aos cidadãos da região e, durante a pandemia, estendido com o atendimento à distância a todos os cidadãos do Brasil. O atendimento virtual permite que o NAF atenda fora de sua jurisdição. Digo que estamos no cenário perfeito, pois temos a certeza de que os futuros contadores da região serão muito mais qualificados no mercado e, também temos a satisfação momentânea dos cidadãos no atendimento de suas demandas nos NAF”. 

Sobre o NAF  

O Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF) é uma parceria da Receita Federal do Brasil (RFB) com as Instituições de Ensino Superior (IES), que visa disponibilizar orientação tributária e fiscal pelos estudantes universitários a pessoas físicas de baixa renda, bem como a microempresas, microempreendedores individuais e entidades sem fins lucrativos. Constitui-se também como importante elemento da prática profissional para os alunos de ciências contábeis e comércio exterior. 

Promovem uma interação maior entre a RFB, as Instituições de Ensino, os alunos e a sociedade, propiciando, por meio da cooperação mútua, através de um Acordo de Cooperação, a qualificação de futuros profissionais contábeis e de comércio exterior, e a prestação de serviços fiscais aos contribuintes hipossuficientes, com vista ao fortalecimento da imagem de ambos (RFB e IES) perante a sociedade e ao desenvolvimento da moral tributária e cidadania.

Deixe um comentário