Agronegócio café movimenta a economia de Varginha e região

Varginha comercializa anualmente 25 milhões de sacas de café e possui capacidade de armazenamento estático para 10 milhões de sacas. Se fosse um país produtor ocuparia a 3ª posição no ranking mundial. Enquanto rebenefício de café, conta hoje com potencial de preparo para 30 milhões de sacas. Somente o Porto Seco exportou, em 2020, 700 mil sacas de café.  

A cafeicultura é a atividade agrícola mais importante no Sul de Minas, sendo responsável por cerca de 25% de toda a produção brasileira. Em média, R$ 10 bilhões circulam anualmente na região por conta da produção de café.

Varginha abriga, ainda, todos os grandes players do mercado mundial, como Stockler (Grupo NKG), Louis Dreyfus, Volcafé, Mercon, Sucafina, Cofco, Olam, entre outras além de grandes transportadoras responsáveis pela logística, já que a cidade é sede do Porto Seco Sul de Minas.

Entre os maiores munícipios sul-mineiros, Varginha é o quarto em PIB per capta (R$ 5.599.966), de acordo com dados do IBGE de 2018. Atualmente, abriga as sedes de centenas de empresas ligadas à atividade agrícola, o que gera cinco mil empregos diretos.  Hoje, o agronegócio café representa 50% da arrecadação econômica de Varginha.

Atualmente, o Sul de Minas possui 2,59 milhões de habitantes, sendo a segunda região mais populosa do estado (13,2%) e contribui com mais de 20% do PIB agrícola no Estado.  Em Minas Gerais, existem três importantes polos de comercialização e produção de café: Sul de Minas (22 milhões de sacas); Zona da Mata (9,5 milhões de sacas); e Triângulo Mineiro (produção de 7,5 milhões de sacas). Fonte: Minasul.

Deixe um comentário