Acordos bilaterais em foco na FIEMG

Um dos convidados da reunião do Conselho de Política e Mercados Internacionais da FIEMG foi o secretário de Negociações Bilaterais e Regionais nas Américas do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Pedro Miguel da Costa e Silva. O evento foi realizado via web e a apresentação de Costa e Silva teve como tema “A Política Comercial e as Negociações Internacionais”.

O embaixador foi recebido por Fabiano Nogueira, em vídeo conferência, vice-presidente da FIEMG e presidente do Conselho de Política e Mercados Internacionais, que pontuou a importância da palestra ser realizada em um momento em que o país vivencia a crise causada pelo novo coronavírus. “Os temas abordados serão de grande valia para os projetos desenvolvidos pela Câmara”, afirmou Nogueira.

Costa e Silva, que é coordenador nacional do Mercosul, explicou que, devido a pandemia, a agenda de negociações internacionais foi impactada. “Existem temas que precisam ser discutidos frente à frente. Os que podem ser resolvidos online, estamos dando continuidade”, afirmou o embaixador. “O Mercosul, por exemplo, é uma construção diplomática, como uma série de peças de encaixe, como o mercado e a política”, ressaltou.

Segundo Costa e Silva, 2019 fechou de maneira positiva para algumas dassas negociações e durante a Cúpula do Mercosul, realizada no ano passado na cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, uma série de acordos em blocos e bilaterais foram selados. “Isso espelha o que o Brasil quer do Mercosul, que se abre para o mercado e que esteja participando dos grandes acontecimentos comerciais do mundo”, afirmou.

“Entretanto, neste ano, devido aos acontecimentos relacionados á saúde, as negociações esfriaram”, pontuou o embaixador, explicando que o momento atual é de analise de possibilidades. “Queremos avançar nas negociações com os países da América Central e também com a Ásia”, afirmou.

O secretario de Negociações Bilaterais e Regionais nas Américas do Ministério das Relações Exteriores também pontuou que outro trabalho desenvolvido por sua equipe são as negociações com o México, para ampliação do acordo já existente, principalmente na área do agronegócio, e com os Estados Unidos, para a facilitação de comércio digital e boas práticas. “A ideia é que possamos negociar de acordo com os interesses do Brasil e do setor privado”, disse Costa e Silva.

Fonte: Fiemg

Deixe um comentário